22 de setembro de 2020

Manuel Gil

 

Alexandre Flores

25 de outubro de 2018  ·

 Manuel Gil, do seu nome completo: Manuel António Gil Lopes, uma das figuras típicas de Almada… a caminho dos seus 94 anos de idade …

Manuel Gil, um homem culto, simples, meigo no sorriso e na expressão dos seus olhos. Um homem, quase sempre revoltado com a vida, de trato oscilante entre uma natural afabilidade e uma aparente rudeza, onde a tristeza e alegria se entrelaçam. Com fiéis admiradores, são conhecidas as suas intervenções, em eventos culturais, através das suas palavras de improviso, de progressista, perante a entusiástica estupefação da assistência. Uma figura irreverente que prefere dizer que só tem a 4.ª classe, mas que não tem medo dos doutores… Quem não se lembra das gargalhadas dos ouvintes quando o Manuel Gil conta as suas histórias vividas… Quem não se lembra do seu poder da palavra, com sentimento e, ao mesmo tempo, com pragmatismo, onde se alia à linguagem gestual, a sua singularidade que está na voz do Povo, com o qual se identifica e a que se orgulha pertencer.

Então, quem é o Manuel Gil?

Muito resumidamente, o "Gil", de origem humilde, nasceu na Rua das Quintinhas, em Lisboa, muito perto da actual Assembleia da República, passando depois a viver a sua infância e adolescência no bairro da Madragoa. Na conhecida Livraria Barateira, em Lisboa, trabalhou muitos anos, na qual conheceu e conviveu com muitos escritores, actores e artistas, como: Ferreira de Castro, Jesus Caraça, Maria Lamas, Álvaro Salema, José Saramago, Jaime Brasil, Bernardo Santareno, Romeu Correia, José Viana, Raúl Solnado,...

Frequentou as pitorescas casas de fado de Lisboa. Por exemplo, a «Luso», a «Adega Machado», a «Severa» (no Bairro Alto), e outras, como o restaurante típico «Pancão» (em Almada, hoje inexistente). Neste meio, conviveu com muitos fadistas, tais como: Alfredo Marceneiro, Amália Rodrigues, Carlos Velez, Fernanda Baptista (sua prima), César Morgado, Fernando Maurício, Maria Amélia Proença,...

Nos princípios da década de 1950, já casado, viveu algum tempo no Monte de Caparica, mudando de residência para Almada, onde ainda reside nos nossos dias. Para além da sua actividade profissional, o Manuel Gil continuava e continua a cantar, de quando em quando, o fado, a ler muito, a desenhar rostos ou caricaturas de figuras humanas e, ainda, a escrever diariamente as suas notas críticas sobre os programas que vê e ouve dos canais da Televisão. Continua a nutrir uma grande admiração pelo poeta António Aleixo, ao ponto de o recitar todos os seus poemas sem qualquer papel. Depois de trabalhar na referida Livraria Barateira, passou a laborar até à idade da reforma, na área da estiva, no controle da entrada e saída das mercadorias no Parque dos Contentores da «Frenave».

Quando estamos com o Manuel Gil, sentimos a sua sincera amizade, a sua alegria, a sua força anímica, a sua lucidez e, ainda, a sua prodigiosa memória que, não obstante a sua avançada idade, ele conhece todos os nomes, as datas e os factos. Como sucedeu, no passado dia 23 de Outubro de 2018, num restaurante popular de Almada, quando estava a almoçar com o almadense Dr. Guilherme Santana Marques, surge de repente o «Bocage dos nossos dias», como lhe chamo carinhosamente, acompanhado do seu filho mais novo, o comdte. Gil Lopes, que, de imediato, nos veio dar a sua cordial saudação. No fim do repasto, fez questão de nos oferecer um poema escrito na toalha de papel (ver na imagem), que passamos a transcrever:

«Porque nunca fui menino / E muito menos mimado / Sou desde bem pequenino / Um cidadão revoltado.

Comi buchas de pão duro / Descalço à chuva e ao frio / Salvou-me a sôpa dos pobres / Vivi como cão vadio.

Estou a chegar ao fim / Duma longa caminhada / Não tenham pena de mim / Nem eu lhes vou pedir nada / E aqueles que por maldade / De mim tiveram inveja / Peço com sinceridade / Que boa sorte os proteja» (M. Gil)

Antes da hora de despedida, sempre com o seu sorriso meigo e espírito que lhe é peculiar, ainda nos cantou um fado, que encantou todos os ouvintes que se encontravam a almoçar no restaurante, agradecendo depois com prolongadas e merecidas palmas...

Para o amigo Manuel Gil, a nossa singela homenagem. E que continue com força anímica e boa saúde pelos anos fora. Um abraço do amigo e admirador de sempre, Alexandre M. Flores.

***

Nota: Manuel Gil, de acordo com o nosso testemunho evocativo (ver a nossa página do FB), veio a falecer a 16 de Setembro de 2020. O velório será realizado, no dia 18 de setembro (sexta-feira), a partir das 10.30h., na capela do Cemitério Municipal do Feijó, sendo o corpo cremado pelas 14h.

 

11 de setembro de 2020

HOMENAGEM A HENRIQUE MOTA

Junto ao início da rua Henrique Mota que da rotunda do barco do Feijó vai até ao Almada Forum, decorreu a homenagem pelo centenário do nascimento de Henrique Mota.
Estiveram presentes:-Dr.Mário Ávila, em representação da Câmara Municipal; Luís Filipe Palma, presidente da União de Freguesias do Laranjeiro e Feijó, acompanhado por Luís Coelho e Brás Borges; João Marcos e Carlos Leal pela União de Freguesias de Almada, Cacilhas, Cova da Piedade e Pragal; Henrique Mota, filho do homenageado e em representação do Farol e Maria Gertrudes Novais e Manuela Silva em representação da Scala.
Estiveram presentes muitas outras pessoas que quiseram acompanhar esta singela homenagem a um atleta e escritor que deu a Almada muito do seu viver.
 

21 de julho de 2020

Lista eleita para os corpos gerentes de “ O Farol – Associação de Cidadania de Cacilhas” para o biénio 2020/21


Mesa da Assembleia Geral
Presidente – RUI RAPOSO.
Vice-presidente –. JOSÉ GONÇALVES FERREIRA
Secretário –.LUÍS BORGES LEITE
Conselho Consultivo
Presidente – JOSÉ MANUEL MIRANDA DUARTE.
Vice-presidente - CLÁUDIA F. INGLÊS R. LOPES.
Secretário – HENRIQUE GOULART B. MOTA.
Direção
Presidente – HENRIQUE L. COSTA MOTA.
Vice-presidente – LUÍS FILIPE VEIGA.
Secretária – MARIA ERMELINDA TOSCANO.
Tesoureira – MARIA MANUELA G. B. CORREIA.
Vogal – MODESTO JOSÉ VIEGAS.
Suplente – ANTÓNIO ALFREDO M.P. BOIEIRO.
Conselho Fiscal
Presidente – MANUEL BARÃO
Vice-presidente – FERNANDO PESSOA CARREIRA
Secretário – MANUEL RAMOS ANDRÉ.

25 de maio de 2020


Estamos de Luto!

Faleceu, hoje pelas 10:30h, uma das maiores personalidades do Concelho de Almada: Fernando Miranda Barão.
Sócio fundador da nossa associação, ocupou os cargos de presidente da Assembleia Geral e de Director do boletim "O PHAROL".

 
Perdemos um amigo.

Almada fica mais pobre.

Henrique Mota - Presidente da direcção de "O FAROL"