29 de setembro de 2008

Estamos de luto

Em memória de Idalina Alves Rebelo (falecida recentemente), saudosa amiga dos Cacilhenses, que permanece viva na nossa cultura, património e imaginário.

NOSSO FAROL

Desde 1866 foste tu
Ante-âmbolo da nossa infância
Mirante dos nossos sonhos
Luz guardião da esperança
Que embalou nossos anos mais risonhos
Ex-libris d’um lugar harmonioso
Lá no alto como grande e
distinto senhor
Como um verde mastro elevado e orgulhoso
Te mantiveste erecto, altivo em teu labor
De cintilante brilho te revestiste
Abrindo em tua luz verde esmeralda
os caminhos do rio que te embalou
E, em ti viveu...
E um dia sem aviso
Te arrancaram p’la raiz
e o lugar, que contigo foi feliz
Assim ficou castrado e entristeceu

E a tua formosa luz se apagou
Murchou p´ra sempre
Vivendo hoje somente
Em nossa saudosa mente.
Imagem e poema de Idalina Rebelo (AnyAna).

2 comentários:

Sérgio Rebelo disse...

Obrigado amigos. Com os seus poemas cresci e eles nos acompanharam sempre nas nossas festas de família.Agora são conforto para os filhos e os demais e ainda lembrança de que o amor não morre minha mãe, tal como em vida nunca deixaste de o mostrar.
Sérgio Rebelo

O Farol disse...

A Direcção da nossa associação deliberou, na reunião realizada hoje mesmo, apresentar à família um sentido voto de pesar pelo falecimento desta tão querida associada de quem nos iremos recordar sempre através dos seus quadros e poemas.